Personas: Buyer, Brand e a sua importância na hora de criar conteúdos

Você já ouvir falar na estratégia de criar personas?

Por Agnessa Leite

Antes de falar sobre a importância de identificar e conhecer profundamente suas personas, vale ressaltar a diferença entre a buyer e a brand persona.

  • Buyer: do inglês, comprador, essa é a persona do seu público, o seu cliente ideal.

  • Brand: significa marca, e é a persona que traz a identidade de quem é a sua empresa, seus valores, sua linguagem e sua personalidade.

Ambas são essenciais para o sucesso das suas estratégias de marketing independente dos seus objetivos, já que sua empresa precisa ser autêntica e ter uma comunicação linear, única em todos os canais. E para gerar empatia, você precisa saber se comunicar com o cliente, por isso necessita conhecer ele profundamente. É como em um namoro, como vai conquistar a garota ou garoto dos seus sonhos se não souber o que ela (e) gosta e o que é importante dentro da sua perspectiva?

O segredo do sucesso, nesse caso, é delimitar corretamente as características das personas e investir em uma linguagem e comunicação que as integrem. Ser autêntico, real e relacionar-se de uma maneira que o cliente se identifique com sua fala, com seus valores e com sua marca.

Sempre uso esse exemplo nas minhas aulas e quero compartilhá-los com vocês.

O primeiro é uma linguagem aplicada a buyer persona:

A descrição traz uma chamada aos “tirulipos de plantão”, ao ler, confesso que fiquei curiosa e fui ao mago Google perguntar o que significava. Descobri que é assim que a blogueira e atriz Sofia Abrão se refere aos seus fãs. Vejam, o post é um quiz sobre a vida dela, por isso direcionado à persona que conhece e segue a atriz. Logo eu que não sou uma fã não me conectei, e não responderia ao quiz sobre a vida dela. Compreende? Linguagem direcionada ao público que era o objetivo do post.

O segundo caso é de uma marca que por sua autenticidade conquistou um grande alcance, e eu particularmente gosto muito, que é o Cemitério Jardim da Ressurreição. Além de conteúdos atrativos e divertidos, como vocês verão no post abaixo, eles conseguiram fazer marketing para vender seus produtos, um tanto inusitados.

Analise que se você não é uma pessoa que vê a morte com bons olhos, que entende que esse dia vai chegar, jamais vai antecipar a compra de jazigos, correto? Então você não é público desta marca. Porém, se você pensa como algo inevitável e de uma forma leve, talvez programe comprar o produto. Independente do público que você seja, a marca mostrou quem ela é e o que ela quer comunicar, ela definiu qual é a sua voz e como ela vai se relacionar com seus clientes.

Agora é com você, crie suas personas e use as informações definidas sobre ela para traçar

seus objetivos e estratégias de marketing.


Posts Em Destaque
Posts Recentes